Ufa! Até que enfim, acabou!

Acredito que muitas pessoas chegaram ao fim de mais um ano letivo, e com certeza disseram as mesmas palavras mencionadas no título deste post, “Ufa! Até que enfim, acabou!” Pois é, não só vocês, mas principalmente eu, esperei muito para dizer estas lindas e tão sonhadas palavras. É uma mistura de sentimentos que se tornam confusos para minha mente humana, mas é tão gratificante, pois é sinal de mais uma etapa vencida. Vocês devem estar se perguntando “confuso por quê?”, mas eu explico.

Algumas pessoas sabem que estou, neste ano de 2011, concluindo o 3º ano do Ensino Médio, e, para aqueles que não sabem, mas imaginam, não é tarefa fácil ser formando de 3º ano não. (risos) Não é que quero desanimar quem vai passar por esta etapa, pois digo que a fase do Ensino Médio, desde o 1º ao 3º ano é a melhor de toda essa fase entre infância, pré-adolescência e a própria adolescência. Nela há várias descobertas, amizades (e infelizmente inimizades também), brincadeiras, paixões platônicas, erros e acertos. É um momento em que há muita cumplicidade e fraternidade entre as pessoas. É nessa fase que se começa a pensar em cursos, faculdades e com quem irá morar junto caso tenha que se mudar de cidade para continuar os estudos.

E é por causa disso que se torna confuso para minha cabecinha de uma simples mortal. (risos) O sentimento de Ensino Médio traz muitos momentos gostosos e prazerosos de serem vividos. Professores e colegas se tornam uma família, pois passamos uma boa parte de nossos dias juntos, todos numa mesma caminhada e cada um com um desejo diferente, mas com mesmo objetivo: conseguir chegar onde se almeja. Quando se está no 3º ano, a vontade que passe o mais lentamente possível é grande para poder curtir cada minuto um momento que marcará a adolescência de qualquer jovem, mas ao mesmo tempo, a vontade que tudo passe o mais rápido possível também é dominante, pois é um ano que exige muito mais além dos outros, (que não deixam de ser mega importantes, portanto, estudem) o cansaço físico e psicológico se tornam também  predominante em nossa rotina diária, já que vestibulares e mais vestibulares se confundem com provas de escolas, cursinhos, e blábláblá. Além de todos esses fatores, o medo e incerteza na hora de, um adolescente de apenas 17/18 anos,  escolher algo que exercerá no decorrer de sua vida, são gritantes. Tenso e assustador, não? Nem tanto! É frustrante, mas ao mesmo tempo se torna delicioso e interessante essa mistura de desconhecido com novas aventuras. A expectativa para saber em qual faculdade se passou, qual curso fará,  em que cidade irá morar,  e com quem dividirá um apartamento deixam as benditas borboletas do estômago em êxtase puro!

Uma época para se guardar lá no fundinho mais escondido da memória, para que não venha alguma tecla “delete” e apague estes fatos que são tão marcantes na vida de qualquer adolescente. Quando tudo acaba, é a hora em que podemos parar e pensar “É, agora posso descansar.”  e isso traz tranqüilidade a qualquer psicológico humano. Mas, não pense que de fato acabou! Quando se menos espera, outro ano se inicia, e mais uma parte da caminhada também. E agora, é tudo novo. Novo ano, nova fase, nova vida! Portanto, FACULDADE, LÁ VOU EU! ME ESPERE QUE ESTOU CHEGANDO!

Anúncios