Dos psicopatas aos chicletinhos.

Quem nunca teve um “ex” na vida, não é mesmo? Desde ex-ficante até os tão dedicados a frase “ex bom é ex morto”, ex-namorado. Bom, mas verdade seja dita: há diversos tipos de ex-namorados no qual podemos separá-los em categorias básicas e diversas, e dentre tantas, destacam-se os PSICOPATAS, os RECALCADOS, os INDIFERENTES, e ainda os SEM-NOÇÃO. Acalme-se, se você ainda não entendeu, eu explico!

  • Os psicopatas são aqueles que dificilmente saem do seu pé. Eles são os loucos da situação e para honrar bem com essa característica, eles estarão sempre lá, onde quer que você esteja para lhe infernizar – e infernizar a vida do seu novo namorado, caso o tenha. Ainda insistirá em ameças muito previsíveis e pouco bem boladas como “se você não voltar para mim vou me matar”, “se você não for feliz comigo não será com mais ninguém”, “vou matar seu namoradinho de merd*”.  Garotas, cuidado ao escolherem seus namorados, muitos realmente são psicopatas e cumprem com essas malditas ameaças. Um exemplo que ficou bastante conhecido sobre isso foi o Lindemberg, um adolescente que matou sua ex-namorada Eloá, no ano de 2008 na grande São Paulo.
  • Os recalcados são aqueles que definitivamente não se conformam com o término da relação e tem aquela necessidade incessante em demonstrar pra o ex que está demasiadamente bem, e como se não fosse o bastante, necessita provar que está milhões de vezes melhor do que quando estava no antigo relacionamento. São esses tipos de ex que sempre darão uma forma de lembrar da antiga namorada, e na primeira oportunidade, tocará em seu nome e fará algo para menosprezá-la diante às pessoas. Podemos apelidá-los dos “ex-bebês”, por que convenhamos, quanta infantilidade, não?
  • Os indiferentes são aqueles que o próprio nome diz: é indiferente. Tanto faz se você teve um relacionamento com tal pessoa, se você foi feliz ou infeliz enquanto durou. Apenas passou e acabou. Ficou lá atrás no passado. Se não deu certo serviu para agregar mais experiência em sua vida, saber o que você pode ou não fazer em um próximo relacionamento. É aquele que ainda ao passar você diz “oi” , dá um sorrizinho e não faz diferença alguma, não desperta mágoa ou tristeza por ter acabado. Esse sim é o tipo mais saudável de ex e pode até entrar na listinha para futuras amizades, quem sabe?
  • E agora, o ex que mais quero dar ênfase nessa postagem: o ex sem-noção. Esse ex é aquele que não importa o que você disse ou diz, como terminou a relação, ele sempre vai estar atrás, no seu pé, te ligando, mandando sms’s, querendo ser o seu bff. Sem noção, não é? Pois é, apenas dando honra ao nome que lhe é dado. Que tal apelidá-los de uma forma bem carinhosa e bastante eficaz na hora de falarmos sobre essa categoria em destaque? Sim garotas, chamem-os de “os chicletinhos”. Como chicletes, eles grudam que é uma beleza e é difícil de fazê-los se soltarem. 

Garotas, vamos combinar, esse tipo de ex ninguém merece! Há aqueles que hão de concordar comigo: quando algo está acabado, apenas deve ficar lá atrás, no passado. Quando um relacionamento termina, queremos recomeçar – ou até começar tudo de novo – nossas vidas, não esquecendo o que ficou para trás porque com absoluta certeza, tudo o que passamos nos agrega bastante experiência. De pessoas grudentas e que querem obcecadamente controlar nossas vidas  já bastam nossos pais. Não gostamos de namorados grudentos, pegajosos, que ligam a toda hora para saber até quando estamos piscando, quem dirá de ex.

A maioria das vezes – se não for sempre – o que os chicletinhos alegam são amizade. Repetem aquele breve e “convincente” discurso de “Nós podemos ser amigos, o que passamos não precisa interferir na nossa amizade.” RAPAZES! Por favor, acordem para a vida pelo menos por dois minutos, ok? Aqui vai uma regra básica sobre término de relacionamento: EX-NAMORADOS NÃO PODEM E NUNCA SERÃO AMIGOS, NAQUELE ESTILO BFF QUE VOCÊS TANTO SONHAM. Pelo menos não nos primeiros doze meses. Nenhum sentimento some da noite para o dia. Nenhum amor se transforma em apenas carinho-de-amigo da água para o vinho. Isso leva tempo, e segundo a psicologia, demora no mínimo  seis meses para você esquecer alguém e esse alguém se tornar totalmente indiferente.

Essa suposta amizade apenas serviria para constranger a ambos, atrapalhar em novas conquistas e ainda, ficar remoendo lembranças que, cá entre nós, foram felizes mas levam à tristeza do ex chicletinho de não poder ter fulano de tal como namorada novamente. Então meu caro amigo, dou-lhe apenas uma dica: tenta seguir sua vida e pare com essa necessidade mortal de convencer sua ex a ser sua amiga. Isso não dará certo e só fará com que você sofra cada vez mais com sua dor de cotovelo. Por que você não investe o dinheiro que gasta em recargas para o celular justamente no intuito de ligar para a sua ex donzela e não compra lindos modelitos e vá para a baladinha? Bem mais produtivo hein. Amor próprio também cola bastante para o sexo masculino. Pode crer.