Carta de um alguém nostálgico, 17/08/2012.

É que essa indecisão de não saber o que fazer em relação a você após tanto tempo me deixa confusa. Sinto uma vontade incessante de você, mas por favor, não interprete-me mal. Essa vontade que tenho é de lhe ter perto de mim, mas apenas como um bom e velho amigo, conversar, saber da sua vida, o que mudou, o que permaneceu estagnado. Soube que você está bem, e isto definitivamente me deixa ainda melhor. É que gosto de saber que as pessoas que realmente são especiais para mim estão tranquilas, felizes e se encontrando nessa caminhada da vida. Sei que, assim como é para mim, para você também não é indiferente, mas ambos temos de concordar que nós fizemos escolhas, e que foram essas escolhas que nos levaram onde hoje nos encontramos. Como diria a Teoria do Caos, uma escolha muda tudo. E assim foi. Todos os dias lembro-me de você, sinto saudades até, mas não aquela saudade que aperta, que machuca e que escorre pelos olhos. É uma saudade saudável e que provoca sorrisos sinceros. Todos os dias desejo de todo coração tudo de bom que o mundo possa oferecer, desejo que você seja feliz, que você consiga alcançar seus objetivos, que você sonhe bastante, pois os sonhos são o que nos ajudam a construir um objetivo e persistir nele. Podem até parecer clichê, mas dane-se, é sincero, e isso é o que de fato importa. Quero lhe dizer que, independente de tudo que houve, das circunstâncias que colaboraram para que nos afastássemos, você jamais deixará de ser um pedacinho de mim, um pedacinho da minha história, uma pessoa especial e que nem por decreto judicial, esquecerei. Saiba que estarás sempre em minha memória e em meu coração, e por favor, só lhe peço uma coisa: apesar de tudo e de todos, não delete-me.

Carta de um alguém nostálgico ao seu verdadeiro amigo.
Anúncios